Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2005

Natal Mágico...

arvorenatal.jpg

O sorriso dela era simplesmente imperturbável, esplendoroso, fabuloso… Sentia-se feliz com o seu sorriso. Fantástico sentir-se feliz com os sorrisos das outras pessoas se bem que a outra pessoa em questão era a sua filha.
O brilho da gambiarra na árvore de natal a reflectir-se nos cabelos castanhos da filha, as faces coradas do calor que a lareira acesa emanava, os olhos brilhantes de satisfação.
O cheiro a fritos e canela. Um «espelho» de sorrisos aquela noite de Natal.
Uma noite de Natal de sonho.
Fixou a estrela no topo da árvore de natal, uma estrela dourada brilhante…a estrela que veio com ela do passado.
A mesma estrela que a estava a levar de volta a um Natal passado. Deixou de ver a filha, a gambiarra, a árvore de natal… E reviu-se a ela naquele NATAL.
A árvore não tinha luzes, tinha uma estrela dourada enorme, umas bolas feitas de papel pela mãe e que ela tinha ajudado a colorir.
Os pais andavam tristes, ouvia-os a sussurrar.
No outro dia tinha mostrado á mãe uma boneca lindíssima numa montra. A mãe sorrira e dissera que provavelmente a boneca estaria vendida. Que uma boneca tão bonita como aquela de certeza já teria dono.
Mas ela sabia que não. Todos os dias depois da escola passava pela montra e via a boneca de vestido de veludo vermelho, com um chapéu de rendas na cabeça. Parecia que a boneca lhe sorria e lhe dizia, sou tua vem-me buscar.
Nesse dia quando chegou a casa pareceu-lhe ouvir vozes no quarto dos pais. Não sabia bem porque, mas colocou-se perto da porta escondida nas sombras por forma a ouvir e a não ser vista. A mãe chorava enquanto o pai a tentava consolar. Que tudo se iria resolver, que ele ainda era um homem novo e que iria arranjar emprego.
No meio dos soluços apenas ouvia a mãe dizer: - A boneca, ela vai ficar tão triste. A boneca de vestido vermelho. Não vamos conseguir compra-la.

Não quis ouvir mais nada. Fechou-se no seu quarto e chorou até que o choro a abandonou e deixou de fazer sentido.
Nessa noite (a 3 dias da noite de Natal) no jantar as palavras eram parcas. A mãe tinha os olhos inchados de chorar, o pai levantava a cabeça com um olhar triste e afagava a mão da mãe carinhosamente. Até que a mãe lhe explicou o que ela já sabia. O pai tinha perdido o emprego, que não haveria bonecas nem brinquedos, nem doces… Mas que estariam juntos e que tudo se resolveria. Que teriam na mesma uma Noite de Natal, se bem que não muito fausta.
Ela ia olhando quer para o pai, quer para a mãe e acenava a cabeça.
Nessa noite sentou-se perto da lareira a olhar para a estrela dourada no topo da árvore de Natal. E foi quando a ideia lhe surgiu.
Durante aqueles 3 dias trabalhou afincadamente. Chegava mais tarde da escola (a mãe tinha reparado nos seus atrasos e ralhou-lhe).
À noite tinha sempre muito mais sono e retirava-se para o quarto perante o olhar admirado e surpreso dos pais.
Mas na véspera de Natal estava tudo pronto.
Tiveram uma noite de Natal tal como a mãe disse não muito fausta. Mas ela mostrou-se muito alegre e de certa forma isso contagiou os pais.
No dia de Natal quando acordou ouviu murmúrios, os pais já estavam a pé. Ainda meio estremunhada dirigiu-se à sala e encontrou os pais sentados no chão perto da arvore de Natal, abraçados e com um sorriso na cara.
Foi o melhor presente que poderia ter tido, aquela imagem serena e feliz dos pais.

Tinha lhe dado muito trabalho mas estava tudo como ela tinha planeado.
A boneca vermelha estava lá linda, uma blusa para a mãe, uns sapatos para o pai… muitos chocolates, bolos e doces.
Estava tudo lá… Pintado e recortado por ela em tamanho real.
Tinha deixado uma nota escrita em que dizia que acreditava na Magia do Natal e que tinha a certeza que no próximo natal aqueles desenhos em cartão se tornariam reais, que os pais não se preocupassem. Que o que importava era estarem juntos. Lembrava-se perfeitamente dos olhos brilhantes e emocionados dos pais.
Na realidade aquele Natal foi inesquecível para todos.

Em Todos os Natais seguintes a boneca de cartão com o seu vestido vermelho estava por baixo da árvore de Natal. A árvore enchia-se de presentes, mas a boneca de vestido vermelho tinha um lugar privilegiado.

De volta ao Natal presente, ela olhou para a estrela dourada e para a boneca de vestido vermelho de cartão que continuava a ter o seu lugar privilegiado debaixo da árvore.
Quando olhava para a felicidade estampada no rosto da filha perguntava-se se alguma vez ela sentiria o Natal como ela o sentiu…

Sem dúvida que ela tinha sido uma privilegiada e aquele Natal do seu passado tinha sido um Natal mágico para todos.
==============================================================

@ PrincesaVirtual: Com esta pequena história de Natal aproveito para vos desejar um Natal Mágico e muito Brilhante a todos. Uma vénia e um beijo ... :)


Decreto-Lei decretado por PrincesaVirtual às 14:51

link do post | Alegações Plebeias | favorito
31 comentários:
De Anónimo a 20 de Dezembro de 2005 às 18:51
E não será o NATAL exactamente isto? A simplicidade de estarmos todos juntos! Um beijo de bom natal!vf
</a>
(mailto:stantonstreet@sapo.pt)
De Anónimo a 20 de Dezembro de 2005 às 15:42
Lindíssima história.
Uma lição de vida, sem dúvida.
BOAS FESTASinconfidente
(http://inconfidencias.blogs.sapo.pt)
(mailto:inconfidencias@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 23:48
És uma chata, estás sempre a perguntar-me se acredito em ti... e depois és vaidosa... vens sempre com o: "convenci-te!".
Vê lá se guardas a barriga para as amendoas da Páscoa. Come poucos fritos... Olha o colesterol...
Agora vou dizer como tu: Quando tiver tempo venho ler o teu conto. augusto
(http://bicodepena.blogs.sapo.pt)
(mailto:brilhanteribeiro@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 23:46
Olá princesinha que não é lambona: podes ir buscar uma prenda ao meu dique porque para uma verdadeira princesa, qualquer prenda é uma honra da parte de quem a dá. Mas olha, tem cuidado, porque em cada saco, existem prendas que não são nada dignas da realeza...ehe, ehe, ehe. Chuac.CASTOR
(http://diquedocastor.blogs.sapo.pt)
(mailto:diquedocastor@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 20:12
bonito conto obrigadu :) um feliz natal p ti tb com tudo de bom p ti e p os teus, beijosPasso
(http://www.versus.sapo.blogs.pt)
(mailto:Passodianisto@hotmail.com)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 19:19
Prepare uma forma
Do tamanho do mundo.

Barre com muito amor...

Polvilhe mesmo levemente
Com fraternidade

Bata em separado
Uma boa dose de amizade

Junte um sorriso de criança
Com flocos de ternura
E tolerância

Misture tudo na forma
Até que a massa fique
Consistente

Leve a lume brando
Indefinidamente

Faça a cobertura
Com os pedaços de paz
Que conseguir reunir!

Ah! Não é necessário sal
Sirva-se em todo o lado
Todo o ano
É esta a minha
Receita de Natal
Carlos
(http://vagueando.blogs.sapo.pt/)
(mailto:c_m_a_n_u_e_l@hotmail.com)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 19:14
Acreditei em Princesas, HOje!Acreditei em fadas, principes encantados(assexuados)... Feliz Natal! Um beijoCrowe
(http://asasnegras.blogs.sapo.pt)
(mailto:the_crowe_nest@hotmail.com)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 16:49
mau mau 2 a chamarem-me «montanha invernosa»????!!!
Por acaso tás um cadinho piegas...será o teu lado..ups :D beijo grande grande grande............... da Moi para Toi e um Natal brilhantissimo para ti e familia pluma(princesavirtual)
(http://www.princesavirtual.blogs.sapo.pt)
(mailto:plumacaprichosa@hotmail.com)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 16:42
Ora muito bem. Não sou um gajo piegas! Antes pelo contrário. E quando o sou,... é para dentro (falo_para_dentro, pieguejo_para_dentro, etc_tudo_para_dentro)!!! Mas, palavra-de-honra, que este conto até me comoveu_para_fora! Coisas da vida, concerteza! Não tarda estou de acordo com o GNM: um gajo pensa que chegou ao cimo da montanha invernosa (eu fui o 2º, hein!?), leva com uma "chapada de sol" em cheio, não vem preparado para a coisa (com panamás, e essas coisas) e fica atarantado!!! Ahahahahah ... Gostei deveras...quiçá mesmo tenha adorado ... e o melhor mesmo é parar por aqui, que a pieguice está a transformar-se em lamechice!! Bem contado, Princesa! ... e um Bom Natal para o teu Palácio!o_fala_para_dentro
</a>
(mailto:fala_para_dentro@sapo.pt)
De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 15:31
hummm essa analogia...por acaso estás-me a chamar de «montanha invernosa»???? ehehe beijo e um Feliz Natal GNMpluma(princesavirtual)
(http://www.princesavirtual.blogs.sapo.pt)
(mailto:plumacaprichosa@hotmail.com)

Alegações Plebeias...

.Audiências Reais com a Princesa Virtual: PrincesaVirtual@sapo.pt

.pesquisar

 

.Novembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Decretos-Lei Recentes

. ...

. Era uma vez uma Princesa ...

. Quando o cristal se estil...

. COMUNICADO REAL...

. À conversa com uma CABRA!...

. Pastilhas...

. Os Mapas, as mulheres e o...

. As vantagens/oportunidade...

. A SMS.....

. Criteriosa....

.Decretos-Lei Antigos

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.Nobreza que visito

blogs SAPO

.subscrever feeds