Terça-feira, 2 de Agosto de 2005

Era uma vez um homem como eu...

homem.jpg

@ antes de começarem a ler gostaria de deixar umas palavrinhas. A meu pedido um amigo de um «blog» escreveu algo para eu «postar». Pedi-lhe um pequeno conto, uma história de «Era uma vez…» , não poderia ter saído melhor. Plagiando uma frase que li uma vez num «blog», nada de psicanálises! O que se escreve muitas vezes é sentido, ou foi sentido ou sentiu-se na pele de alguém, o que não quer dizer que seja o PRESENTE. Este amigo encontra-se de perfeita saúde física e mental…ou seja CHATO todos os dias . Um aplauso sffv :) deixo-vos com Fdarkeyes do blog «Uma coisa de cada vez» que se encontra aqui linkado.

A seu pedido coloquei aqui a musica da Filarmónica Gil (espero que toque) :)



===================================================

(para ler, se possível, ao som de “Um homem como eu”, Filarmónica Gil, 2005)

Era uma vez um homem.
E porquê uma história sobre este homem? Por ser diferente de muitos? Talvez! Por ser igual a tantos? Pode ser. Seja como for, é uma história desse homem (que será apenas chamado de homem).

O homem tinha tudo para ser um homem feliz! E, contudo, não o era. Faltava-lhe coragem para isso:

- Sim, que para se ser feliz é preciso ter coragem – dizia o homem, a si mesmo, vezes sem conta. Claro. Ter coragem para se desfazer de muitas coisas conseguidas com esforço. Ter coragem para deixar para trás outras coisas, essas conseguidas com amor. E, imagine-se, ter coragem para esquecer ainda outras coisas, essas nem sequer conseguidas, apenas encontradas nas esquinas da sorte. Sim, a teoria o homem conhecia-a toda!

O certo é que esse homem não tinha essa coragem. Esforçava-se. Às vezes, muito de vez em quando, lá deitava fora uma coisita ou outra mas, quando chegava o momento de ter que se desfazer de algo realmente significativo... recuava. E, para não perder o respeito por si próprio, apressava-se a encontrar a melhor justificação: não, esta não me atrapalha a felicidade!

E assim, neste jogo do toca-e-foge, o homem foi gastando os seus dias. E um dia, veio a vida! E a vida foi-se encarregando de lhe retirar, uma por uma, cada uma daquelas coisas de que ele não teve a coragem de se desfazer por mote próprio.

E um dia, o homem, que como qualquer homem não era dado a grandes reflexões, deu por si sem nenhuma dessas coisas...e sem nunca ter conseguido ser feliz.

Mas teria sido preciso recuar uma vida inteira para conseguir entender este homem que, de tão diferente, era igual a quase todos. Só que isso é muito tempo!
Decreto-Lei decretado por PrincesaVirtual às 11:41

link do post | Alegações Plebeias | favorito
|
15 comentários:
De Anónimo a 4 de Agosto de 2005 às 17:38
Extraordinário texto! Parabéns ao autor! A mudança e o afastamento podem ser mutio dolerosos... mas por vezes tão fundamentais. Para que não seja tarde demais quando olharmos para trás! Um beijinho grande princesa! Bom fim de semana. Ah... a musica não consegui ouvir. Muacksssssssssssssssss. Malae*****************Malae
(http://ilhalorosae.blogs.sapo.pt/)
(mailto:catiandrea@hotmail.com)
De Anónimo a 3 de Agosto de 2005 às 09:29
Todos nós temos um "homem" desses dentro de nós ( nada de pensamentos pecaminosos ;s) arriscar é dificil, dar um passo . .saltar .. mt complicado :-) Passo
</a>
(mailto:Passodianisto@hotmail.com)
De Anónimo a 2 de Agosto de 2005 às 21:58
Não resisiti e vim cá espreitar, noite dentro... elace...a vida tem destas coisas! Foi um prazer...fdarkeyes
(http://http;//umacoisadecadavez.blogs.sapo.pt)
(mailto:fdarkeyes@sapo.pt)
De Anónimo a 2 de Agosto de 2005 às 21:46
merda é agora que vou fazer bungi jumping... ora entao um grande bem hajaInsolente
(http://oprazerdainsolencia.blogs.sapo.pt)
(mailto:aaa@aaa.aaa)
De Anónimo a 2 de Agosto de 2005 às 21:20
Batles(...) é claro que sei quem és...já te disse eu tenho o 7º sentido. A próxima rodada vai ser tua :) neste comentário revelaste-te um beijo :)

pluma (princesavirtual)
(http://www.princesavirtual.blogs.sapo.pt)
(mailto:plumacaprichosa@hotmail.com)
De Anónimo a 2 de Agosto de 2005 às 19:49

Olá princesa.Se há coisa que não se julga é a história.Podemos analisar,estudar e reflectir sobre ela,nunca julgá-la.No tempo real todas as decisões e opções que tomamos são as que decidimos que naquela altura ou naquele momento eram as mais adequadas.Quando olhamos para o tempo passado nunca o podemos julgar.Neste momento comentar no teu blog nunca será um tempo perdido ou mal gasto.hagace
(http://bezaranha.blogs.sapo.pt)
(mailto:heldercorreia@sapo.pt)
De Anónimo a 2 de Agosto de 2005 às 17:20
Parabéns pelo teu blog, está muito bem feito, e a musica toca....
Tenho pena (ou não?) de te não puder remeter para o "meu blog", mas não tenho.
Também para que o quereria? se a vida é feita de 55% de linguagem corporal/
38% tom de voz/
7% de palavras.
Vou lendo.... por exemplo; neste blog.
MargaridaMargarida
</a>
(mailto:marcm@sapo.pt)
De Anónimo a 2 de Agosto de 2005 às 17:03
parabéns plo blog, está realmente fantástico.adorei o conceito moderno de princesa e relatas de um modo muito divertido e irónico o que se paxa na cabeça das pexoas deste mundo:)
adorei mm:)
passa por favor no www.fotolog.net/_myramar_
acompanha uma história de amor platónico que nunca xegou a materializar'se..deixa post:)
mts bjos e parabéns pelo blog*_myramar_
</a>
(mailto:maria_joaop@sapo.pt)
De Anónimo a 2 de Agosto de 2005 às 14:51
Dizia alguém um dia que: " Não se chama um acto de coragem se este não for acompanhado pelo medo!" .. Eu tenho medo de algumas coisas e com o decorrer do tempo fui perdendo-o, simplesmente pelo facto de ao longo do meu caminho ter encontrado tantas outras coisas ainda mais importantes, fazendo deste processo, um processo sucessivo, uma roda vida, um ciclo vivioso.

Mas do que realmente tenho medo, e nem com o tempo o vi desaparecer, é de perder o que nunca cheguei a alcançar, medo de não conseguir oferecer/receber o que desejo, porque simplesmente não tive a coragem de usufruir da palavra e acto de "coragem" no momento adequado,com o verdadeiro medo de falhar.


Ás vezes perco a noção do meu norte, perco a noçao do meu Sul, não sei se lá fora está frio ou Sol, se faz chuva ou se está um belo dia primaverial, mas num acto de coragem calço os meus sapatos, abro a porta e corro para a rua, porque nada dura eternamente, e o nosso dia-a-dia é feito disso mesmo, de actos de "coragem", porque quem nos rodeia os merece, e porque nós mais do que tudo também os merecemos."Batles are fought by those with the courage to believe"
</a>
(mailto:justme@mail.pt)
De Anónimo a 2 de Agosto de 2005 às 13:52
Olá!
Adoro o teu blog, é muito divertido!
E as fotos são espectaculares, mesmo em sintonia com o assunto de que falas.
Continua, ganhaste mais uma fã:)Sílvia
</a>
(mailto:tana_sc@sapo.pt)

Alegações Plebeias...

.Audiências Reais com a Princesa Virtual: PrincesaVirtual@sapo.pt

.pesquisar

 

.Novembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Decretos-Lei Recentes

. ...

. Era uma vez uma Princesa ...

. Quando o cristal se estil...

. COMUNICADO REAL...

. À conversa com uma CABRA!...

. Pastilhas...

. Os Mapas, as mulheres e o...

. As vantagens/oportunidade...

. A SMS.....

. Criteriosa....

.Decretos-Lei Antigos

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

.Nobreza que visito

.Livro de visitas

.Aqueles que me estão a visitar agora mesmo...

.Alguém os viu???

.A orquestra a tocar

.Levem a Princesa (salvo seja) - o seu selo...

blogs SAPO

.subscrever feeds